quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Conheça as principais mudanças na Aeronave de Ataque A-1 Modernizada

A-1 AMX


Vamos conhecer agora o que foi modificado no A-1M modernizado
  • Radar SCP-01 – dá a possibilidade de o A-1M efetuar missões contra alvos navais. O radar foi construído em parceria da empresa italiana Selek Galileu com a brasileira Mectron;
  • Casulo Skyshield – as estações de solo ou outras aeronaves de caça que tentarem utilizar radares para detectar os A-1M poderão ter interferências em seus sistemas;
  • Missile Airborne Warning System (MAWS) – a aeronave conseguirá identificar e classificar os disparos tanto de aeronaves interceptadoras quanto de baterias antiaéreas por meio de infravermelho;
  • Radar Warning System (RWR) – o sistema avisa quando a aeronave está na tela de um radar;
  • Chaff e Flare – “iscas” contra mísseis guiados por radar ou calor;
  • NVG - Os pilotos do A-1M poderão executar missões à noite com os óculos de visão noturna (NVG);
  • Head Up Display (HUD) – o display na altura da visão do piloto será integrado aos sistemas de navegação, ataque e gerenciamento de sensores e armas;
  • Back-up Flight Intrumentation (BFI) – em caso de falhas nos sistemas principais, o sistema de instrumentos de voo reserva pode ser usado para o retorno do caça após uma pane ou se ela for atingida pelo inimigo;
  • A cabine foi remodelada e os relógios e instrumentos analógicos foram substituídos por três telas multifuncionais; e
  • Hands on Trottle and Sticks (HOTAS) – o piloto pode controlar a aeronave com comandos nas pontas dos dedos.

Cockpit do A-1M modernizado
Se engana quem pensa que o A-1 tem pouco poder de combate. Em 1994, as aeronaves participaram da primeira Operação Tigre e atuaram ao lado dos F-5E em combates simulados contra os caças F-16 da Força Aérea dos Estados Unidos. Os americanos tiveram dificuldades em enfrentar a Aeronave de Ataque brasileira e os chamavam de “The bees”. Os A-1 também participaram da “Red Flag”, realizada no deserto de Nevada, nos Estados Unidos. Os AMX italianos participaram da Operação Allied Force, na Bósnia, em 1999, e nos conflitos no Afeganistão, em 2009. Depois destas missões, atuaram na Líbia, em 2011.

A Força Aérea Brasileira publicou um vídeo de uma entrevista em que o gerente do projeto de modernização do A-1 na Comissão Coordenadora do Programa de Aeronave de Combate (COPAC), Coronel-Aviador Márcio Bonotto, apresenta as principais mudanças na aeronave de caça subsônica. A entrega do primeiro avião modernizado à Força Aérea Brasileira foi realizada nesta terça-feira (03/09) em Gavião Peixoto, interior de São Paulo.

2 comentários:

  1. Joga fora estas porcarias, o Brasil nunca vai ter caças de verdade, só estes ferro velhos maquiados!!!

    ResponderExcluir
  2. Sem dúvida é um avanço e em momentos de tantas turbulências nos cenários nacional e mundial, de tantas condições de corrupção, parece que a EMBRAER vai conseguindo passar com menores danos e até mesmo conseguindo suplantar as dificílimas condições nacionais atuais e chega a produção deste A-1M... Quanto a comparar nosso A-1M com as superpotências mundiais, vale lembrar que a EMBRAER hoje ocupa o terceiro posto em escala mundial em produção de aeronaves e até aqui demonstra ser um dos últimos baluartes do Brasil que é neste momento seu galardão... Outras grandes empresas nacionais que eram o grande orgulho nacional e até mesmo ainda são, foram invadidas e tomadas por forças da corrupção e de assalto levaram quase todo o legado de dignidade que havia... EMBRAER está seguindo até aqui um curso digno, talvez pelo olhar que o ambiente militar tem colocado sobre ela e por isto a tem mantido com mais proteção...

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...