quarta-feira, 13 de novembro de 2013

BRASIL e CHINA ampliam cooperação Espacial

BRASIL e CHINA


Brasil e China aumentarão significativamente o desenvolvimento de atividades no âmbito científico e tecnológico, com destaque para o segmento espacial, nos próximos dez anos. A decisão foi tomada nesta quarta-feira (6), em Cantão, na China, na 3ª sessão plenária da Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concentração e Cooperação (Consban).

As conversações alcançaram “avanços excepcionais na cooperação”, disse o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antônio Raupp, que participou do encontro juntamente com o presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), José Raimundo Braga Coelho”.

Para o ministro Raupp, “na área espacial, por exemplo, tivemos aprovado um plano decenal de ações conjuntas, mas tivemos avanços em todos os temas tratados”. Ele destacou como áreas promissoras para entendimentos a biotecnologia, a nanotecnologia e os parques tecnológicos. Na opinião de Raupp, “Brasil e China estão demonstrando que é possível o estabelecimento de cooperação entre países emergentes em temas que envolvam alta tecnologia”.

Cbers


Iniciada há mais de 15 anos, a cooperação espacial entre os dois países tem no programa Sino-Brasileiro de Satélites de Recursos Terrestres (Cbers, na sigla em inglês) o seu expoente. Com a experiência obtida Brasil e China estabeleceram agora um plano decenal de trabalho, que prevê a continuidade do Cbers com a abertura de outras vertentes, como o desenvolvimento de um satélite geoestacionário meteorológico, a criação de um laboratório para esse ramo científico, a ampliação do intercâmbio de recursos humanos e a abertura de um centro de tecnologia no Brasil.

Ficou confirmado que o Cbers-3, quarto satélite da série, será lançado da China no próximo dia 10 de dezembro e que o Cbers-4 entra em órbita em 2015, sendo que sua montagem, a integração dos equipamentos e os testes de integração serão todos realizados no Instituto Nacional de Pesquisas Tecnológicas (Inpe), em São José dos Campos (SP).

Os dois países concordaram ainda dentro do plano decenal promover a recepção de dados dos satélites Cbers em outros países, melhorar suas aplicações e aprofundar os estudos quanto às políticas de cooperação em dados de satélites.

Ciência sem Fronteiras (CsF)


O governo chinês informou estar disposto a aumentar o número de estudantes do programa Ciência sem Fronteiras (CsF) no país. Uma das iniciativas nesta direção será a colaboração para o aprendizado dos brasileiros no idioma mandarim, por meio do Instituto Confúcio no Brasil.

Também se discutiu a breve realização de um encontro no Brasil para diálogos de alto nível na área de ciência e tecnologia, com a participação de representantes das comunidades científica e empresarial e lideranças políticas. “Países emergentes caminham juntos e crescem juntos”, apregoa o ministro Raupp.

A Cosban, criada em 2004, está organizada em onze subcomissões. A reunião desta 4ª feira (6) foi a terceira do colegiado. Os trabalhos foram dirigidos pelo vice-presidente da República, Michel Temer, e pelo vice-primeiro ministr chinês, Wang Yang. Além do MCTI também foram representados na reunião os ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa); Aviação Civil; Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e Minas e Energia (MME).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...